O Lestão chegou!

Diocese
21·Abril·2017

Lestão prepara para o 14º Intereclesial das CEBs com o tema: ‘Desafios no Mundo Urbano’

Tem início nesta sexta-feira, dia 21, o Lestão, evento que antecede a reflexão a ser realizada em Londrina durante o 14º Intereclesial das CEBs de 2018: CEBs e os Desafios no Mundo Urbano. Esse pré-encontro acontece em diversas partes do país. Em Volta Redonda participam as dioceses que fazem parte do Leste 1 – Estado do Rio e Leste 2 – Espírito Santo e Minas Gerais, por isso é chamado Lestão. Esta é a segunda vez que o evento preparatório é realizado. A primeira foi em 2014 em Juiz de Fora (MG).

Desde cedo chegam os participantes, principalmente aqueles que vêm de longe. É o caso do Edward Guimarães, da Arquidiocese de Belo Horizonte. "A expectativa mais presente é a gente se animar, enfrentar coletivamente na partilha de vida e da fé essa animação do seguimento de Jesus, os desafios que é viver isso que acreditamos, a experiêcia de um Deus que nos convoca a fazer uma sociedade fraterna que nos inclua a todos dentro desse mundo urbano que nós construímos", destacou.

A abertura do evento será às 16 horas, com a Romaria das Comunidades. A concentração será na Igreja Santa Cecília, na Vila Santa Cecília, de onde partirá para a Igreja Nossa Senhora da Conceição, no Conforto, passando pelo Memorial dos Trabalhadores, onde junto à Romaria será realizado um ato contra as Reformas propostas pelo atual governo.  

O Lestão acontecerá de 21 a 23 de abril na paróquia Santa Cecília. “A nossa diocese sempre teve presença marcante e o rosto das comunidades. Estivemos presentes em todos os intereclesiais. Receber o Lestão aqui é uma forma de agradecimento”, explicou Elisa Ferreira, uma das organizadoras do evento.

Cerca de 300 pessoas são esperadas, entre elas padres e bispos de outras dioceses. Estão confirmadas as presenças dos bispos dom Joel Portella (RJ), dom Luciano Bergamin (Nova Iguaçu) e dom José Aristeu Vieira (Luz – MG).

 Sobre as CEBs

As Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) surgiram no Brasil como um meio de evangelização que respondesse aos desafios de uma prática libertária no contexto sociopolítico dos anos da ditadura militar e, ao mesmo tempo, como uma forma de adequar as estruturas da Igreja às resoluções pastorais do Concílio Vaticano II, realizado de 1962 a 1965, que previa uma Igreja mais aberta, “um novo jeito de ser Igreja”.

No final dos anos 1970 e início dos anos 1980 esse modelo se tornou mais forte. Na diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda, essa já era uma realidade trazida pelo então bispo dom Waldyr Calheiros, que leu a sociedade a partir do Evangelho, na luta pelos direitos, sobretudo dos mais pobres e oprimidos.

Desta forma, as CEBs estão na raiz de vários movimentos sociais e têm contribuído para a formação de muitas lideranças no campo social e político.

 

Desafios no Mundo Urbano

 O mundo passa por muitos desafios: desemprego, fome, migração, crise ambiental, dentre outros. Encarnada neste contexto, as CEBs à luz do 14o Intereclesial em Londrina é chamada a repensar profundamente e a relançar com fidelidade e audácia sua missão nos novos desafios da realidade brasileira, com o lema “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-lo” (Ex 3,7).

Os desafios do mundo urbano não se reduzem à cidade, mas referem-se a toda a sociedade urbana, ao ser humano, suas lutas e seus direitos.

Neste sentido, os dias de reflexão vão preparar os participantes a buscarem novos caminhos para: moradia, mobilidade, segurança, meio ambiente e sustentabilidade, trabalho, saúde, educação, arte, cultura, esporte e lazer, tecnologias de informação, comunicação e afetividade/sexualidade.