Quinta-feira Santa inicia com momento de espiritualidade do clero

Diocese
18·Abril·2019



Na manhã desta Quinta-Feira Santa o clero de toda a diocese esteve reunido na paróquia Santa Cecília, em Resende, para um momento de espiritualidade e confraternização entre os diáconos, padres e bispos. A manhã de espiritualidade celebrou o Sacerdócio Ministerial, como explicou dom Francisco Biasin, administrador apostólico da diocese. 

"A minha reflexão de hoje foi sobre o presbítero discípulo do senhor, pastor, profeta e missionário e concluí com uma fala do Papa Francisco, que na Quinta-feira Santa de 2014, se dirigiu aos padres novos, maduros e idosos. Em cada categoria por idade ele tem uma palavra muito bonita. Foi um recado que eu quis dar aos padres, dizendo que todos eles têm uma função bonita na Igreja e que no presbitério", disse dom Francisco ao ressaltar a relevância de cada um. "Os jovens são chamados a dar toda a sua juventude, a construção do futuro já presente. Aos maduros, de carregar o peso do momento, talvez, mais exigente da vida deles. Porque sobre os padres maduros, com idade entre 40 e 60 anos existe o peso de responsabilidade dentro da própria diocese. E aos padres mais idosos, entre os quais a gente se inclui, de dizer que estamos vivendo o momento da nossa vida que é da fragilidade, mas ao mesmo tempo é muito preciosa a nossa experiência para toda a Igreja e para todo o presbitério. Então para mim foi um momento de muita alegria, um pouco de emoção e a conclusão dos oito anos de presença e ministério junto com eles", disse dom Francisco. 

Mais tarde na missa da Instituição da Eucaristia e do Lava-pés, início do tríduo Pascal, a Igreja acolhe mais uma vez os ministros ordenados, a fim de motivá-los na missão deixada por Jesus, o serviço ao povo se Deus, como explicou padre Márcio Correia Mendes, pároco anfitrião do encontro realizado. 

"Na Quinta-feira Santa, à noite, embora seja a instituição da eucaristia, nós não vemos Jesus falar da eucaristia, nós vemos Jesus lavando os pés dos discípulos. Ressalta justamente esse lado do ministério do padre, que está a serviço do povo de Deus. Não estamos a nosso serviço, não somos padres para nós, mas para o povo, para servir ao povo e à Igreja. Estamos constituídos por Cristo para servir o povo de Deus que nos é confiado", disse padre Márcio.